ptenes

medula ossea 4O Hemominas, em parceria com a UninCor Betim e o Laboratório Laborclínica promoveu, na última semana, uma campanha para cadastrar doadores de medula óssea para o Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome).  A ação foi realizada no Museu de Artes de Betim e ocorreu para despertar a comunidade sobre o caso do garoto, Felipe Gabriel dos Reis, de nove anos, que luta contra a Leucemia. Durante a atividade, os alunos do 5º período do curso de Enfermagem realizaram, além de esclarecimentos sobre a graduação e o mercado de trabalho, aferição de pressão arterial e teste de glicemia.

Na medula óssea são produzidos os componentes do sangue: as hemácias (glóbulos vermelhos), os leucócitos (glóbulos brancos) e as plaquetas. O transplante pode beneficiar o tratamento doenças em diferentes estágios, que afetam as células do sangue, como as leucemias e os linfomas. De acordo com o coordenador do curso de Enfermagem dos campi Belo Horizonte e Betim da UninCor, professor Daniel Fernandes, o fator que mais dificulta a doação da medula óssea é a desinformação e, consequentemente, a falta de doador compatível.

“Somos um país de muitas etnias e isso faz com que fique mais difícil a compatibilidade genética, por isso é importante que a UninCor e outras entidades ligadas à área da saúde façam ações na comunidade, que visam ampliar o número de pessoas cadastradas, já que as chances de o paciente encontrar um doador compatível, em média, são de uma em cada 100 mil pessoas”, afirmou.