Voltar para a lista de cursos

ciencia da computacao

 Informações Gerais 

    

Regime escolar: Semestral
Turno de funcionamento: Noturno
Integralização Curricular
Modalidade: Bacharelado – Presencial
Tempo previsto: Mínimo 08 semestres e Máximo: 16 semestres
Carga horária total: 3.200 horas

 Perfil do Egresso 

   

O perfil desejado do egresso do Curso de Ciência da Computação é coerente com os seus objetivos, atendendo aos critérios de clareza e coerência em relação às necessidades profissionais e sociais, sendo compatível com o perfil estabelecido pelas Diretrizes Curriculares Nacionais.

O referencial teórico-metodológico para o Curso de Ciência da Computação da UninCor, tendo em vista o perfil desejado do seu egresso, além da concepção universal do pensamento social contemporâneo, indispensável a qualquer profissional da área, deverá também estar preparado para:

  • Alcançar a visão científica do curso, com capacidade técnico-instrumental suficiente ao atendimento correto das demandas sociais;
  • Atuar nas variadas vertentes existentes no mercado de trabalho, como profissional autônomo, ou docência, ou pesquisador ou na prática de trabalho interdisciplinar;
  • Ter consciência do cumprimento de seus deveres éticos - profissionais em qualquer situação cotidiana.
  • Possuir formação sólida em computação e matemática que o capacite a construir softwares de propósito geral para ajudar a planejar, organizar, comandar, controlar e coordenar a eficiente e eficaz consolidação e o funcionamento das organizações, com efetividade;
  • Conhecer e respeitar os direitos e propriedades intelectuais inerentes à produção e utilização de sistemas computacionais bem como saber agir de forma coerente e reflexiva na construção de sistemas de computação;
  • Considerar como pilar de sua carreira a inovação, criatividade, empreendedorismo e senso de trabalho em equipe e humanizado.

 Objetivos 

Formar profissionais com conhecimentos teórico-metodológicos, ético-políticos e técnico-operativos na área de Computação, aptos a desempenharem suas funções com conhecimento e experiência necessária para se engajarem em atividades de concepção, análise e desenvolvimento e aplicação de métodos e técnicas computacionais para a resolução de problemas nos mais diferentes domínios.

 Habilidades e Competências 

As Diretrizes Curriculares Nacionais (DCNs) para os Cursos de Ciência da Computação, aprovadas pelo Conselho Nacional de Educação (Parecer CES/CNE n.º 0136/2012) – em 09 de março de 2012 – transcreve os benefícios para a sociedade dos cursos de bacharelado em Ciência da Computação, “Os cientistas da computação são responsáveis pelo desenvolvimento científico (teorias, métodos, linguagens, modelos, entre outras) e tecnológico da Computação. Eles constroem ferramentas que são normalmente utilizadas por outros profissionais da área de Computação, responsáveis pela construção de software para usuários finais e projetos de sistemas digitais. Eles são também responsáveis pela infraestrutura de software dos computadores (sistemas operacionais, compiladores, banco de dados, navegadores entre outras) e software para sistemas embarcados, sistemas móveis, sistemas de computação nas nuvens e sistemas de automação, entre outros. Também são responsáveis pelo desenvolvimento de aplicações de propósito geral. Os cientistas da computação aplicam métodos e processos científicos para o desenvolvimento de produtos corretos. Sabem fazer uso da interdisciplinaridade, na medida em que conseguem combinar ciências, dando a elas um tratamento computacional.”

Diante a essas expectativas e de acordo com as DCNs, o curso de graduação em Ciência da Computação deve possibilitar a formação profissional que revele, pelo menos, as seguintes competências e habilidades:

  1. Compreender os conceitos e fundamentos da Ciência da Computação para o desenvolvimento de software e hardware;
  2. Desenvolver expressão e comunicação compatíveis com o exercício profissional, inclusive nos processos de análise e desenvolvimento e também reconhecer a importância do pensamento lógico em situações do cotidiano e suas aplicações;
  3. Refletir e atuar criticamente sobre a esfera computacional, compreendendo sua posição e função na estrutura produtiva sob seu controle e gerenciamento;
  4. Desenvolver raciocínio lógico, crítico e analítico para operar sistemas computacionais, expressando-se de modo crítico e criativo diante dos diferentes contextos organizacionais e sociais;
  5. Ter iniciativa, criatividade, determinação, vontade política e administrativa, vontade de aprender, abertura às mudanças e consciência da qualidade e das implicações éticas do seu exercício profissional;
  6. Desenvolver capacidade de transferir conhecimentos da vida e da experiência cotidianas para o ambiente de trabalho e do seu campo de atuação profissional, em diferentes modelos organizacionais, revelando-se profissional adaptável;
  7. Desenvolver capacidade para elaborar, implementar, analisar, manter e consolidar projetos computacionais visando o equilíbrio de todos os fatores envolvidos com qualidade e confiabilidade; e
  8. Desenvolver capacidade para realizar gestão e prover organização no âmbito administrativo que envolva sistemas de computação e se preocupar com os princípios de interação humano-computador da atualidade.

 Grade Curricular e Corpo Docente 

Grade Curricular

1º Período

Disciplinas

Carga horária

Algoritmo e Lógica de Programação

80

Computação, Tecnologia e Sociedade

80

Matemática

80

Comunicação e Processo Científico

80

Projeto Integrador I (Empreendedorismo, Liderança, Criatividade e Inovação)

80

 

2º Período

Disciplinas

Carga horária

Álgebra Linear

40

Algoritmos I - Linguagem de Programação

80

Matemática Discreta

40

Arquitetura de Computadores

80

Desenvolvimento do Pensamento Filosófico

80

Projeto Integrador II (Responsabilidade Social, Educação, Étnico-racial)

80

 

3º Período

Disciplinas

Carga horária

Algoritmos II - Estrutura de Dados

80

Sistemas Operacionais

40

Cálculo Diferencial e Integral I

80

Sistemas Distribuídos

40

Desenvolvimento Social e Humano

80

Projeto Integrador III (Meio ambiente e Sustentabilidade)

80

 

4º Período

Disciplinas

Carga horária

Algoritmos III - Complexidade e Otimização

80

Cálculo Diferencial e Integral II

80

Engenharia de Software I

80

Sustentabilidade e Desenvolvimento

80

Projeto Integrador IV (Interação Homem-Máquina)

80

 

5º Período

Disciplinas

Carga horária

Banco de Dados I

80

Engenharia de Software II

80

Programação Orientada a Objetos I

80

Redes de Computadores I

80

Ciências Políticas e Políticas Contemporâneas

80

Estágio Supervisionado I

100

 

6º Período

Disciplinas

Carga horária

Banco de Dados II

80

Pesquisa Operacional

40

Probabilidade e Estatística

40

Programação Orientada a Objetos II

80

Redes de Computadores II

80

Robótica e Automação

40

Tópicos Especiais

40

Estágio Supervisionado II

100

 

7º Período

Disciplinas

Carga horária

Circuitos Digitais

80

Computação Gráfica e Processamento de Imagens

80

Programação e Design para Web

80

Segurança e Auditoria de Sistemas

80

Seminários Integradores

40

Trabalho de Conclusão de Curso I

40

Estágio Supervisionado III

100

 

8º Período

Disciplinas

Carga horária

Inteligência Artificial

80

Linguagens Formais e Autômatos

80

Programação para Dispositivos Móveis

80

Telecomunicações

80

Optativa

40

Projeto de Conclusão de Curso II

40

Estágio Supervisionado IV

100

  

 

Corpo Docente

Docente

Lattes

Adauto Mendes Bernardes Júnior

http://lattes.cnpq.br/3254047159668408

Alexandre Pereira Norberto

http://lattes.cnpq.br/4526375027396636

Cilene Margarete Pereira

http://lattes.cnpq.br/9574577449606443

Helena Maria Pereira Borges

http://lattes.cnpq.br/7799981941906438

Jocyare Cristina Pereira de Souza

http://lattes.cnpq.br/6971092838621749

Júnior Menezes

http://lattes.cnpq.br/7313267586159908

Luciano Marcos Dias Cavalcanti

http://lattes.cnpq.br/9219777786891977

Lúcio Henrique de Oliveira

http://lattes.cnpq.br/5772539730216368

Luiz Antônio Andriatta Ayres

http://lattes.cnpq.br/5351089490378994

Luiza Procópio Sarrápio

http://lattes.cnpq.br/3676061586080143

Maria Alice Fernandes Corrêa Mendonça

http://lattes.cnpq.br/3972380326662069

Maria Carolina Silva Castro Oliveira

http://lattes.cnpq.br/8677353806798476

Paulo Henrique Pereira

http://lattes.cnpq.br/5331738115151981

Priscila Ligabó Murarolli

http://lattes.cnpq.br/7066307667377441

Terezinha Richartz Santana

http://lattes.cnpq.br/9610707436484070

Zionel Santana

http://lattes.cnpq.br/0835846087696280

 Formas de Avaliação 

A Avaliação do Rendimento Acadêmico se dá a partir de dois aspectos: o aproveitamento escolar e assiduidade.

Quanto ao aspecto da assiduidade, permanece a exigência legal, já conhecida por todos: é considerado aprovado o aluno com frequência igual ou superior a 75% (setenta e cinco por cento) da carga horária prevista para cada componente curricular.

Quanto ao aspecto da avaliação do aproveitamento, em termos de aprendizagem, ficam instituídas as seguintes modalidades de avaliações:

VA - Verificação de Aprendizagem – trata-se de avaliação individual, escrita e/ou prática observada a natureza do componente curricular, referente ao conteúdo programático cumulativo, prevista em calendário específico.

OAt - Outras Atividades – obtida por meio de verificação do rendimento do aluno em atividades (individual ou em grupo), de investigação (pesquisa, iniciação científica, práticas investigativas), de extensão, trabalhos de campo, seminários, resenhas, fichamentos e outras formas de verificações previstas no Plano de Ensino do Professor, respeitado o Calendário Acadêmico, traduzidas em notas. No caso de trabalho em grupo, deverá ser considerado o desempenho individual de cada aluno.

VS – Verificação Substitutiva – avaliação escrita com conteúdo cumulativo, referente a todo o semestre letivo, ofertada ao aluno que a requerer, destinada a substituir apenas uma (01) das VAs perdida pelo mesmo.

VF – Verificação Final – avaliação escrita com conteúdo cumulativo referente a todo o semestre letivo, ofertada após o encerramento do semestre letivo, ao aluno que a requerer, desde que o resultado obtido nas avaliações anteriores tenha sido inferior a 60 pontos e igual ou maior que 40.

As VAs – Verificações de Aprendizagem serão em número de três (03) no semestre letivo, em cada componente curricular e com as seguintes pontuações:

•              VA 1 = 15 pontos

•              VA 2 = 25 pontos

•              VA 3 = 35 pontos

As OAts – Outras Atividades terão o valor total de 25 pontos, os quais poderão ser distribuídos em várias atividades, a critério do professor do componente curricular. A apuração dos resultados da avaliação da aprendizagem é assim processada:

•              NS – Nota Semestral – resultado obtido pelo somatório das VAs (Verificações de Aprendizagem) + OAt -Outras Atividades.

•              RF – Resultado Final – é o resultado da avaliação da aprendizagem obtido pelo aluno por meio da média aritmética simples entre os resultados da Nota Semestral (NS) e Verificação Final (VF), em cada componente curricular, cuja pontuação mínima de aprovação deve ser de 60 pontos. As médias dos alunos serão calculadas de forma automática pelo Sistema Acadêmico, permitindo-se arredondamento.

 Autoavaliação 

A autoavaliação proposta para o Curso de Ciência da Computação visa fornecer dados e informações para análise do funcionamento do mesmo, o que permite aferir resultados significativos, possibilitando a criação de alternativas educativas, não só em relação aos conhecimentos, mas, sobretudo, em relação às atividades e competências do futuro profissional que a Instituição pretende formar.

Para isso a Autoavaliação do Curso é uma avaliação processual nos vários períodos que envolvem o Curso para obtenção de informações nas diferentes dimensões, trabalhadas pela Coordenação do curso, com acompanhamento da CPA da IES, visando à dinamização do processo pedagógico, com a implementação das mudanças necessárias.

O processo autoavaliativo do curso é realizado a cada semestre envolvendo a participação dos discentes, docentes e técnico-administrativos, com pesquisa on-line. O instrumento avaliativo contempla a avaliação da coordenação, do docente, do PPC, do pessoal técnico-administrativo e da infraestrutura do curso.

Serão etapas da autoavaliação do curso:

  • Definição de indicadores e fontes para a compreensão do diagnóstico.
  • Definição dos instrumentos a serem utilizados.
  • Desenvolvimento da autoavaliação.
  • Identificação de problemas e conquistas.
  • Identificação de soluções.
  • Divulgação e discussão dos resultados.
  • Elaboração de Plano de Ação.
  • Acompanhamento / Controle.

    

 Formas de Acesso  

Enem

A modalidade de ingresso via ENEM se aplica a todos os cursos de graduação, presencial ou a distância. A modalidade de acesso via ENEM contemplará os candidatos que quiserem utilizar sua nota de um dos 4 últimos exames aplicados do ENEM. O candidato deverá informar o ano de realização do ENEM e a nota obtida na redação, que será validada automaticamente pelo sistema.

Provas On-line

A modalidade de ingresso via prova online está disponível para todos os cursos de graduação ofertados, tanto presenciais como a distância. A Prova Online é composta de uma prova de redação a ser realizada online que visa aferir o domínio da habilidade de expressão escrita em seus diversos aspectos e consiste em uma interpretação de texto ou dissertação e terá caráter classificatório e eliminatório.

Provas Agendadas

A modalidade de ingresso via prova agendada se aplica a todos os cursos de graduação, presencial ou a distância. A Prova Agendada é composta de uma prova de redação a ser realizada em data previamente escolhida pelo candidato que visa aferir o domínio da habilidade de expressão escrita em seus diversos aspectos e consiste em uma interpretação de texto ou dissertação e terá caráter classificatório e eliminatório.